You are here

Comunicado

A CDU da Nazaré vem assistindo nos últimos dias, ao fogo cruzado entre os responsáveis dos dois principais partidos políticos até aqui com responsabilidades governativas na Nazaré. Sendo eles os únicos culpados da calamitosa situação financeira da autarquia da Nazaré e dos prejuízos que isso provoca à população, muito nos admira esta tentativa de branquear responsabilidades de ambos. Apenas lutam para ver quem tem mais culpas no cartório! A CDU estranha este tipo de picardias e ataques, porquanto todos os intervenientes políticos nestas ações representam os mesmos partidos que sempre lideraram a autarquia da Nazaré ao longo de mais de 40 anos. Umas vezes no governo e outras na oposição, ambos foram sendo construtores do enorme fosso agora conhecido e da sua verdadeira profundidade. O PPD/PSD é o principal responsável pelo enorme deficit financeiro da autarquia nazarena, por tantos anos de má gestão. Mas o PS onde estava? O que fiscalizava? Não querem ser culpados! Então culpamos quem? Apareceram agora os ataques do Partido Socialista da Nazaré (PS), aproveitando o resultado de uma Auditoria Administrativa e Financeira executada pela Inspeção Geral de Finanças (IGF) ao mandato do anterior executivo do PPD/PSD em conjunto com o PS, onde aquela entidade coloca a nu todas as irregularidades que foram acontecendo ao longo dos anos, de 2009 a 2012. Anos em que o executivo do PPD/PSD de Jorge Barroso foi apoiado por três vereadores eleitos pelo PS. Parece que o ideal para o PS é que nem se fale nisso, para não fazer lembrar às pessoas essas “jogadas”. Mas a CDU não deixa esquecer. Por mais que tentem, nem PS nem PSD saem isentos de responsabilidades. É o que este relatório comprova! Quanto aos ataques dos responsáveis e dos futuros candidatos autárquicos do PPD/PSD local ao PS e aos seus ex-camaradas socialistas, derivam do resultado de um Acórdão do Tribunal de Contas, do qual a CDU da Nazaré deu conhecimento público em Setembro passado. Esse acórdão, agora já transitado em julgado, arrasa a gestão do atual executivo municipal maioritário do PS, com vereadores do PPD/PSD e Grupo de Cidadãos independentes Concelho da Nazaré (GCICN), pela forma como queria executar contratos-programa e contratar prestações de serviços com a Empresa Municipal Nazaré Qualifica. Algumas das situações referidas no Acórdão foram antes referidas pela CDU e podem ser lidas nas nossas intervenções e declarações de voto das assembleias municipais. Parece que alguém enfim nos ouviu e fiscalizou esses contratos. Todos estes confrontos são provocados pela fome de poder que ambos procuram saciar nas próximas eleições. Pouco importa a população, desde que os seus intentos sejam satisfeitos. Para a CDU, conforme já temos dito, não há diferença nenhuma entre uns e os outros. Se compararmos os procedimentos e as maneiras de atuar, podemos afirmar, sem qualquer dúvida, que estão ao mesmo nível no que de pior os executivos podem fazer para prejudicar as populações. Basta ver os 29 pontos do relatório da IGF onde, desde Junho de 2015, esta entidade obriga a profundas alterações de procedimentos e que ainda não foram satisfeitos pelo atual executivo. Aliás, na reunião extraordinária de 08 de Julho de 2015, onde se falou deste relatório pela primeira vez, não estiveram presentes todos os vereadores eleitos. Muito gostaria a CDU de saber, porquê? Não cumprir de forma integral e escrupulosamente o mandato, é enganar as populações que neles votaram! A CDU da Nazaré sempre contrariou nos locais próprios, a forma de exercer o mandato, quer do anterior presidente, Jorge Barroso, quer do atual, Walter Chicharro, por entendermos que lesavam, e lesam, as populações e a autarquia em demasiados casos. Hoje temos provas evidentes do que aqui afirmamos. A arrogância colocada nas respostas enviadas ao Tribunal de Contas são disso prova. Para limpar essa arrogância e o que estava mal feito, pediram mais um Parecer que deve ter custado mais uma pequena fortuna aos cofres de autarquia. Ou seja: aos bolsos de todos os munícipes. No anterior mandato, algumas das intervenções da CDU na Assembleia Municipal foram pouco apoiadas pelos eleitos do PS, quando referíamos ser necessário fiscalizar mais profundamente determinado tipo de procedimentos. Isto aconteceu, provavelmente, para defenderem a posição dos seus vereadores e das suas votações. No entanto, estes mesmos vereadores do PS, depois vieram a fazer parte do executivo do PPD/PSD. Aliás esses procedimentos de Jorge Barroso, na busca de maiorias, ou de mais apoios, ou de nenhuma oposição, foi comum a muitos dos seus mandatos, quer em maioria, quer em minoria. E com maior ou menor dificuldade ele conseguiu o que pretendia, vá-se lá saber porquê e para quê. Depois de conhecer o relatório da IGF agora tornado público, a CDU da Nazaré colocou uma exposição àquela entidade fiscalizadora e solicitou uma nova Auditoria Administrativa e Financeira à CMN, agora aos anos de 2013 a 2016, pelo menos, pelo motivo de não estarem a ser cumpridas as recomendações da IGF para as obrigatórias e urgentes alterações de procedimentos ilegais detectados naquele relatório de auditoria.

Este mandato autárquico, por mais que o executivo de Walter Chicharro diga ser diferente do anterior, para a CDU é igual se não for pior, neste e em outros domínios. Tal como dissemos anteriormente, o tempo dar-nos-ia razão. Nesta e noutras matérias, o tempo e a vida deu, e voltará a dar, razão à CDU.

O Grupo de Trabalho da CDU da Nazaré

Também pode ler aqui